RARIDADES DA FRANÇA 24/03/2010

 

 

Por conta da veia de colecionador de discos, filmes, HQs, tenho uma simpatia especial pelo que é raro, obscuro. Claro que transportei meu olhar colecionista para os vinhos e na realidade pra tudo dessa vida.

A importadora Le Tire-Bouchon, fundada pelo especialista em vinhos Jean Raquin, francês radicado a 10 anos no Brasil como presidente da Helibras, fabricantes de helicópteros que hoje exerce sua experiência em achados do mundo do vinho.

A idéia central de Jean são vinhos de regiões menos conhecidas do grande público mesmo na França que  muitas vezes se repete no Sancerre (delicioso é claro) de sempre.

A concepção me lembra muito a do sommelier Philippe Faure-Blac e seu restaurante Bistrot Du Sommelier, e do mestre Alain Senderens o chef que realiza as harmonizações mais inteligentes e inusitadas de comida e vinho.

Da Le Tire-Bouchon escolhi 3 vinhos da região do  Savoie, 1 do Jura e 2 da Corsega.

 

SAVOIE

 

 

Apremont Les Rocailles 2008 aoc vin de savoie apremont Pierre Boniface (R$ 53,00)

 

Na região do Savoie nos alpes franceses área de um dos queijos que mais adoro. o Reblochon, é produzido esse delicioso vinho branco de preço ótimo para a qualidade e raridade. A uva é a jacquère, autóctone e pelo que me parece só é plantada no Savoie mesmo. Vinho sem Madeira, nariz generoso pela comunhão ultra equilibrada de mineralidade com uma fruta muito rica. Considerado o melhor vinho para um fondue de queijo, mas adorei com um ensopado de lulas “en su tinta” e ervilhas, a vida é bela!

 

 

Roussette de Savoie 2007 aoc roussete de savoie Domaine Eugène Carrel (R$ 65,00)

 

 

Uma “appelaccion” exclusiva de vinhos brancos “Roussette De Savoie” uma sinfonia de aromas composta apenas pela uva jongieux, vinho branco quase “mastigável”. Colheita manual, vinho de grande cuidado e minúcia conduzido por um dos melhores vinicultures do Savoie a família de Eugène Carrell. Aromas muito ricos, lembram as frutas espetaculares do nordeste do Brasil e ainda algo amendoado, nozes. Vinho branco com estrutura de fruta para pratos de aves. O ideal é não deixar gelar demais esse vinho, vinhos brancos importantes (Champagne incluído) se estiverem muito gelados perdem suas características mais especias.

 

 

 

Jongieux Mondeuse 2007 - aoc vin de savoie mondeuse cru jongieux Domaine Eugène Carrel (R$ 72,00)

 

 

 Mais uma jóia de  Eugène Carrell, um tinto da uva mondeuse, delicado, floral, vinho com o teor alcoólico de antigamente 12,5%. Ou seja pode-se beber um pouco mais, o que é felicidade imediata, eternos amigos!

 

JURA

 

 

Domanie Baud Chardonnay 2005 - aoc côtes du jura (R$ 78,00)

 

 

Esse vinho eu já havia escrito na coluna que fazia para Veja Online (http://tinyurl.com/y8t87as) e sempre figurou como um dos vinhos brancos mais interessantes e instigantes do mercado. Vinho branco que é beneficiado ao se passar para o decanter e esperar 30 min. Vem um turbilhão de nozes, amendôas, avelãs. Na boca é infinito, pode ser guardado por 10 anos ou mais anos, vinho branco de guarda tamanha untuosidade e potência. Perfeito para uma sopa de frutos do mar que no restaurante Satyricon no Rio é preparada com maestria.

 

CÓRSEGA

 

 

Domaine Leccia blanc 2006 - aoc patrimonio (R$ 145,00)

 

Da famosa ilha francesa vizinha da Itália é produzido ao norte na micro-região Patrimônio um vinho branco francês de alma bastante italiana. A uva é a vermentinu (para os franceses) ou vermentino (para os italianos) e o Domaine Leccia é figura sempre presente nos guias de vinhos bio-dinâmicos, vinhos que respeitam a terra, os astros e o espírito.

Vinho sem madeira, fermentado por 8 meses em barril de inox, fruta muito rica, vinho ultra fino, no nariz-boca, melão, muito melão notas de tília, um frescor perfeito para um carpaccio de peixe ou tartar temperado com ervas, flor de sal e azeite.

 

 


Domaine Giudicelli Muscat du Cap Corse 2006 - AOC Muscat du Cap Corse (R$ 150,00)

 

Mais um vinho da série “se eu tivesse um restaurante colocava para serviço em taça”, um vinho de sobremesa que é ao lado do Muscat Du Beaumes De Venice a melhor combinação para o famoso “crème brulée” que em Portugal também é feito magistralmente com o nome “leite crème”. O Domaine Giudicelli só produz esse vinho em anos excepcionais.

 

 

ONDE COMPRAR :

 

Le Tire-Bouchon

 

Rua Barão De Tatuí 285 – Sta. Cecília

Tel (11) 3822-0515

 

http://www.letirebouchon.com.br/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Escrito por Ed Motta às 09:15:54
. 19/10/2011
. 09/06/2010
. 12/05/2010
. 19/04/2010
. 06/04/2010
. 24/03/2010
. 12/03/2010
. 02/03/2010
. 19/02/2010
. 06/02/2010