ALSÁCIA TEM AROMAS DE CONTOS DE FADAS
São Paulo, sexta, 2 de outubro de 1998

Fiquei morrendo de vontade de conhecer a bonitinha Alsácia, na França, depois da última edição especial da revista "Wine Expectator", dedicada à região.
A influência da Alemanha, vizinha de fronteira, é notada na arquitetura, na gastronomia forte em gorduras e nos vinhos com aromas de contos de fadas como o Riesling e o Gewurztraminer.
Posso dizer que comecei a prestar atenção nos vinhos brancos depois que tomei o primeiro Gewurztraminer e senti o aroma potente que sai dessa uva. Para quem ainda pensa que os vinhos brancos são inferiores aos tintos...
Também os "SGN" Selection de Grains Nobles, afetados pelo mesmo fungo que faz do Sauterness aquele líquido sem comentários, e os "demi-sec" Vendanges Tardives são experiências únicas.
Todos os produtores enfocados com destaque na revista têm representação no Brasil. Por exemplo, há a Trimbach. Tive a oportunidade de degustar um dos tops da casa, o Riesling Clos de Saint Hune, safras 86 e 92.
Os Riesling são com certeza os melhores que já tomei, não só da casta. Estão entre os melhores brancos do mercado -a "Wine Expectator" os coloca em segundo lugar no ranking da região.
Outro produtor de destaque é Zind-Humbretch: já tomei os Gewurztraminer "Gueberschwhir" e "Clos Windsbuhl", ambos safra 92.
O primeiro é ótimo, com exótico aroma de rosas. O segundo é uma sinfonia de aromas quentes e maduros, lembrando uma boa caminhada no Jardim Botânico do Rio no verão, quando os frutos maduros são quase cozidos pelo calor.
No quesito vinhos de sobremesa, o Gewurztraminer "SGN" Quintessence, do cuidadoso Marcel Deiss deixa muito Sauternes no chinelo, com seus aromas de mel, canela e equilíbrio.
Outro espetáculo é o tradicionalista Hugel. Destaco o seu Tokay Pinot Gris "SGN" para acompanhar uma das coisas que mais amo: "foie gras". Quente, vermelhinho, esse vinho tem aromas elegantes, lembrando maracujá e frutos maduros. Na boca, uma notinha mineral com retrogosto dos grandes de sobremesa.
Alsácia? Esse é só o começo: ainda temos Sylvaner, Pinot Blanc, Muscat e Edelwicker...