BEBIDA
As cervejas belgas Liefmans

Sede da Liefmans, na Bélgica: 300 anos de tradição
Entre minhas cervejas favoritas, as produzidas pela cervejaria belga Liefmans ocupam um espaço especial. Antes de ser importada para o Brasil pelo cervejólogo Xavier Depuidt era uma das minhas obsessões nas viagens para shows na Europa. Em Londres, no meu pub favorito, o White Horse, é possível provar uma das variedades da Liefmans como um chopp, ou melhor "on tap".

Processso de fermentação natural: em tanques abertos
A cervejaria que tem quase 300 anos e utiliza um processo de fermentação único, que lembra tanto as Lambic como as Cantillon (leia a coluna "Cervejas de fermentação espontânea"). A cerveja é exposta às bactérias do ar e submetida a uma fermentação natural, e em alguns casos são adicionadas frutas e especiarias. Em seguida, misturam cervejas de anos diferentes, assim como no Champagne, que são envelhecidas em madeira. No sabor, são completamente diferentes das Lambic, muito menos acidez e mais corpo.

Liefmans Glühkriek e chocolate
A garrafa sem rótulo com rolha de cortiça, enrolada num papel, sempre me deu água na boca quando folheava a enciclopédia de cervejas belgas do especialista inglês Michael Jackson. Atenção, não é o vocalista principal do Jackson 5...

Degustei todas as Liefmans disponíveis no mercado brasileiro que felizmente não importa a Fruitesse uma versão adocicada e comercial da austera Kriek que eles produzem brilhantemente. Se bem que tenho curiosidade em provar a Fruitesse fermentada com maçãs lançada recentemente na Bélgica.

Liefmans Goudenband
Mais complexa e graduação alcóolica (8%) maior do que a Oud Bruin (5%).
Conhecida como "provision beer" a Goudenband pode durar se guardada corretamente mais de 50 anos. Ao lado da Rodenbach Grand Cru, são as melhores cervejas marrons do planeta, brown beer. Perfeitas para acompanhar um pato assado.

Liefmans Frambozenbier
A de menor produção, inclusive a garrafa é um pouco menor. Adicionam framboesa à Goundenband, gerando uma cerveja com mais corpo do que as Framboise oriundas da Lambic.
Mesmo antes de beber, o aroma que sai da garrafa dá vontade de chorar de tão perfeito e intenso. Uma panacota com calda de frutas vermelhas é a parceria ideal. Graduação 4.5%, dá para beber bem...

Liefmans Kriek
As cerejas (Kriek) ficam fermentando um ano, o fermento natural da fruta é o componente principal. Essa é a Kriek que mais gosto, encorpada, ótima com frutos do mar.

Liefmans Glühkriek
Uma cerveja de inverno mesmo, já que é necessário colocar em "banho maria" e esquentar até 70 graus. Adicionam cravo, canela e anis na Kriek. Com chocolate é um clássico para os aficionados por cervejas especiais.

Liefmans Jan Van Gent
A mais simples produzida, mas em comparação a milhares de cervejas ditas de qualidade é bastante interessante.